Por de sol na serra

Vista da nossa janela na casa de Friburgo.

EMOÇÃO



Quando eu li a postagem da Norma: http://jeitosimplesdeser.blogspot.com.br/2012/08/revelacao.html, na qual ela fala da essência do ser - já traçada na infância - veio-me à lembrança algumas das minhas próprias realidades da personalidade.

E uma, que é marcante - e aí eu posso intitulá-la como a principal - é a aptidão pelo canto. Posso até arriscar em dizer que a música é a razão de minha existência. Creio que eu tenha nascido para cantar e isso é uma coisa que me invadiu o ser desde a infância e não me abandonou.

A música me conduz à emoção e à reflexão; e como já disse antes, ela me transforma e me transporta para um mundo particular que me fascina... 

Quando canto, tudo fica diferente e nada me atinge. É como se eu estivesse numa viagem encantada. Uma viagem de sonhos que só me dá alegrias.

Lembro-me cantando nos programas de calouros mirins da Rádio Campista Afonsiana, em Campos dos Goytacazes, nos anos setenta, e já naquela época adorava estar diante daquela multidão de gente da plateia, me aplaudindo, e eu feliz com tudo aquilo que acontecia naquele lugar cheio de magia. Era a música me indicando um caminho a trilhar: o caminho da emoção.

E para melhor ilustrar toda essa emoção, só mesmo ouvindo uma música na qual me vejo dentro dela e que fala de tudo isso:



Até breve!

Luiz Malvino
25ago2012