Lembranças

Foto: Luiz Malvino
A todo instante estamos aprendendo algo. Todo acontecimento é aprendizado e nada nos foge à memória, a não ser que queiramos muito e mesmo assim alguma coisa fica guardada e em algum momento vem à tona.

Uma coisa maravilhosa acontece quando a memória nos grita por uma boa lembrança. Ficamos extasiados, felizes, pensativos e tentando buscar detalhes dessa lembrança. Os cheiros daquela época ficam evidentes, o nosso olfato nos faz crer mais ainda na possibilidade de revivermos, por alguns momentos, uma situação tão agradável que vivemos tempos atrás.

Ainda ontem estávamos eu e a Norma falando sobre este assunto e realmente algumas boas lembranças vieram-me à memória. Ela me perguntava de onde surgiu a minha aptidão pela culinária, com quem aprendi a cozinhar... e então, forçando um pouco a memória - buscando informações para ilustrar a questão - e com muito prazer, me lembrei de algumas situações.
Lembrei-me da minha mãe que me ensinou a fazer o arroz branco e soltinho e lembrei-me, também, da minha querida tia Laerta - minha segunda mãe -, na cozinha, fazendo, com muito amor, aquele bife maravilhoso, que modéstia à parte, eu faço igualzinho, pois de tanto ver e sem a pretensão de aprender, apenas pelo prazer de estarmos juntos, acabei assimilando o jeito que ela tinha de transformar aquele alimento em algo delicioso. Realmente eu posso dizer que aprendi a fazê-lo com ela, sem que ela me ensinasse. Entende?
– Pois é isso mesmo! A nossa memória é um espetáculo, e é ela quem nos ensina, muitas das vezes, alguma coisa. O bife, que hoje eu faço tal qual a tia Laerta, é o resultado das lembranças olfativas daqueles meus momentos felizes da infância, ao lado de uma pessoa que era a maior mulher do meu mundo particular. Além do bife espetacular, tudo o que ela fazia pela família era com muito esmero, amor e dedicação.
Podemos reviver muitas outras lembranças, buscando fatos que marcaram positivamente a nossa vida e veremos que tudo o que sabemos e aprendemos com a vida e com as pessoas que por nós passaram, deixando a sua marca é algo importantíssimo e não podemos esquecer.
 
 
Isso não é saudosismo; isso não é querer viver do passado; isso não é nada negativo... Pelo contrário: é bom termos a certeza e o imenso prazer de lembrarmos fatos que marcaram a nossa vida e tomarmos em conta  que foram esses acontecimentos que nos ensinaram a sermos o que somos e a agir exatamente como agimos. Isso é a verdadeira construção do ser.

Não precisa voltar muito o tempo. Tente lembrar fatos que se passaram com você neste ano que está terminando. Busque nessas lembranças os momentos positivos e faça deles não só uma simples lembrança, mas um aprendizado e uma razão para prosseguir a sua caminhada rumo a felicidade.
O futuro está aí. Vamos tentar acertar mais, buscando algo que traga paz de espírito para nós e para os que nos cercam. Só assim teremos a alegria de convivermos em harmonia  tal como o nosso Criador espera e deseja para todos nós.
Beijos no coração e até a próxima!
 
Luiz Malvino
29dez2012

7 comentários:

✿ chica disse...

Tão lindo te ler,Malvino e imaginar os bifes da tia, tantas coisas mais. Lindo! Feliz 2013, cheio de coisas boas e bem bonitas pra vocês! abração,chica

Tina Bau Couto disse...

Concordo, aplaudo e assino embaixo.

"Há coisas que são mais que coisas
São coisas que nos fazem lembrar" disse Rubens Alves e perfeitamente resume o que vc disse e o que devemos alimentar, curtir, valorizar.
Lugares, cheiros, pessoas, sensações, aprendizados que são os outros em nós, que será nós nos outros e é dessas coisas que são mais que coisas que fazem nossas histórias, que são nossa fonte de inspiração e de felicidade se tivermos olhos de ver e coração de sentir.

Abraço, bençãos, axé, upas, paz e bem \o/

Anônimo disse...

Bom dia!

Gostei muito de seu texto Malvino, me fez lembrar que o pouco que sei de cozinha eu aprendi olhando minha mãe fazer, não que ela estivesse me ensinando mas de tanto ver e pelo prazer de estar ao lado dela, assim como suas lembranças de sua tia Laerta.
Como sempre, sua fotografia é muito bonita.

Um grande abraço para vocês.

Regina

Anônimo disse...

Obrigada por compartilhar momentos importantes, de formação de personalidade, de transformação e crescimento. Que 2013, seja uma ano de muita luz, realizações e de paz para vcs.

Eliza

Mariacininha disse...

Ai Meu Deus Malvino fiquei arrepiada. Em quanto lia seu texto, me lembrei da minha avó que me ensinou tantas coisas,a sua maneira natural de enxergar as coisas. Não era letrada nem ao menos sabia ler escrever, mas os maiores ensinamentos aqueles que tenho orgulhos de ostentar e que passei aos meus filhos vieram desta incrível mulher, como você diz do meu mundo particular.
Obrigado por ter resgado tão linda lembrança com seu texto.
Das lembranças que levo de 2012 por daqui algumas hora 2012 será só memoria, ter estado com vocês foi um presente, você não sabe como me fez bem e como sai da sua casa engrandecida. Você e Norma estarão sempre nas minhas doces lembranças. Um dia foi contar a historia do nosso encontro para meus netos.
Ah, vou querer comer esse bife.
Beijos

Mariacininha

Anônimo disse...

Ola Melvino! Mais uma vez voce brilhou. Suas lembrancas fazem com que as nossas sejam reavivadas,quanta saudade eu tenho da minha avo e tudo que aprendi com ela,obrigada por mais esse momento de recordar e viver. Bjaooo Lilica!

Margarida disse...

Tão reconfortante ler esta mensagem... E vocês fazem parte das minhas doces recordações e do meu crescimento! Desejo-vos neste ano que todos os dias sejam repletos de felicidade e boas reoordações. Beijos.